DIVISA – NOTAS EM ROTAS DE TRAVESSIAS

Material Educativo

Publicação Independente I E-book - Livro Eletrônico I 2022

ISBN: 978-65-00-51685-2

 

Edição e Organização: Lindomberto Ferreira Alves & Rubiane Maia

Colaboradores [Convidados]: Elton Panamby, Flavia Gimenes, Gabriela Leandro Pereira, Jamile Cazumbá, Lindomberto Ferreira Alves, Manuel Vason, Maria Luiza de Barros, Renata Segatto, Tatiana Rosa e Tian Maia Vason

Tradução: Tom Nóbrega

Design: Rubiane Maia

"DIVISA - Notas em Rotas de Travessias” é uma publicação em formato PDF pensada como material educativo de "Divisa" (2022). Foi editada e organizada por Lindomberto Ferreira Alves e Rubiane Maia, e conta com a participação de vários colaboradores-interlocutores como Elton Panamby, Jamile Cazumbá, Maria Luiza de Barros, Renata Segatto, Tatiana Rosa, Gabriela Leandro Pereira, Flavia Gimenes, Manuel Vason e Tian Maia Vason. Em "Divisa" (2022), a artista transdisciplinar Rubiane Maia cumpre uma jornada de 20 dias pela linha da divisa entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo com a ideia de “(re)estabelecer uma relação de contato e fusão com esta faixa territorial de fronteira-limite” de maneira a “desvelar e ressignificar as numerosas camadas da sua história individual e social, que pariam neste ‘entre-terras’”.

Nesses termos, esta publicação emerge do desejo de que a reverberação desse projeto artístico não se realize a partir de uma perspectiva única em torno da relação entre divisa - memória - corpo - território - imagem - criança - colaboração - brincadeira (enlace central no qual se assenta o projeto). Mas, sim, a partir de uma construção fundamentalmente dissonante e polifônica, na qual os processos reflexivos dela derivados tenham como chão ético a produção de um circuito informativo-educativo comprometido com a pluriversidade de repertórios, lugares de fala e visões de mundo. Um caminho que investe não só na potência destes escritos como um laboratório de experimentações críticas junto às diferentes nuances do projeto, mas que opera pelo incentivo real do exercício da alteridade. Neste sentido, vislumbramos que esta publicação possa se tornar uma caixa de ressonância que, nesse caso específico, amplia o alcance do debate sobre como diferentes vozes entendem, se apropriam, manejam, descartam, criam e recriam sentidos junto aquilo que, por falta de uma palavra melhor, chamamos identidade.

Se, por um lado, espera-se que, juntos, os elementos compositivos desta publicação complementem-se em um breve, mas significativo panorama a respeito da dimensão poético- política que percorre cada um dos conceitos-chaves mobilizados neste projeto. Por outro, esperamos que este conjunto possa formar uma cartografia analítica-prospectiva, nebulosa e heterogênea, indicativa de pensamentos em devir, cujas diferentes referências, gramáticas e epistemologias reflitam sobre como os processos artísticos contemporâneos são capazes de abrir passagem para os corpos transatlânticos fruto da diáspora Africana.